CORREIO BRAZILIENSE E WHATSAPP: novas rotinas produtivas e o público como protagonista no processo de construção da notícia

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Fernanda Vasques Ferreira
Carlos Augusto Bernardes Ribeiro

Resumo

O presente artigo tem como problema compreender as alterações que ocorrem nas rotinas produtivas do Jornal Correio Braziliense, do Distrito Federal a partir da implantação do aplicativo WhatsApp para uso do público leitor e verificar quais as consequências dessa mudança para o processo de construção da notícia, alterando o seu fluxo tradicional. Os métodos utilizados foram a revisão bibliográfica, a entrevista em profundidade com editores do jornal e a observação participante. Observa-se que o uso do WhatsApp alterou as rotinas tradicionais implantando novo ritmo durante as reuniões de pauta e na práxis jornalística e proporcionou uma ampliação do relacionamento do jornal com o público leitor, estreitando o vínculo com os cidadãos comuns que passaram a protagonizar a produção das notícias.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Seção
Arremate
Biografia do Autor

Fernanda Vasques Ferreira, Doutoranda da Faculdade de Comunicação (UnB), professora da Universidade Católica de Brasília (UCB)

Doutoranda da Faculdade de Comunicação (UnB), professora da Universidade Católica de Brasília (UCB)

Carlos Augusto Bernardes Ribeiro, Graduado em Comunicação Social - Jornalismo pela Universidade Católica de Brasília (UCB) e assessor de comunicação na área política na Câmara dos Deputados

Graduado em Comunicação Social - Jornalismo pela Universidade Católica de Brasília (UCB) e assessor de comunicação na área política na Câmara dos Deputados